A Cortês deve seu sucesso ao espírito empreendedor do seu patrono, José Villarino Cortês. Nascido na modesta aldeia galega de Navallo, na Espanha, desembarcou em 1951 no Brasil, onde viria a erguer um império que já dura quatro décadas. Superando todas as dificuldades inerentes à condição de imigrante, conseguiu seu primeiro emprego em Santos como encarregado do Frigorífico da Cervejaria Brahma, onde logo veio a ser promovido. Nesta caminhada conheceu sua inseparável esposa, D. Ilda Garcia Villarino. Nas décadas seguintes, em todas as entrevistas que deu, sempre se referiu a ela como sua companheira de jornada, sem cujo apoio a empresa jamais teria prosperado.

Buscando sempre progredir e abrir novos horizontes, deixou os quadros da Brahma para atuar por conta própria na compra e venda de pequenos estabelecimentos comerciais. Logo anteviu o futuro promissor que Santos reservava às atividades logísticas, adquirindo então seu primeiro caminhão para transportar mercadorias procedentes de São Paulo. Após muito esforço e dedicação, fundou a Cortês Transportes Ltda. em 1966, que nos anos seguintes ampliou sua clientela e seu raio de ação, firmando posição no mercado. O passo seguinte foi a criação da Cortês Armazéns Gerais Ltda. em 1974, quando pela primeira vez o Brasil conheceu armazéns destinados não somente à estocagem de café, mas de vários produtos.

A empresa lança sucessivas inovações graças à visão de futuro do seu Presidente, que mesmo nas férias visitava portos estrangeiros para observar as tecnologias em uso no Exterior e trazê-las para o Brasil. Com isso, a CORTÊS alcança a liderança do setor logístico e chega ao século XXI movimentando uma variedade de cargas, com destaque para os segmentos de autopeças, algodão e açúcar.



Surge a Transportadora Cortês Ltda., fundada por José Villarino Cortês na cidade de Santos. Sediada na Rua Aguiar de Andrade, a empresa inicia suas atividades com apenas um caminhão e muita determinação, ampliando rapidamente sua frota nos anos seguintes.


Após oito anos de crescimento, a empresa já conta com um sólido patrimônio e uma reputação estabelecida no mercado. Com isso, adquire novos imóveis que servirão de base para a expansão das suas instalações.


Cria sua subsidiária Cortês Armazéns Gerais Ltda., numa época em que o Brasil só conhecia armazéns de café até então. Com isso, torna-se a primeira transportadora na Baixada Santista a agregar este segmento à sua atividade principal.


Desponta como pioneira na importação e operação de empilhadeiras Top Loader, servindo de exemplo para outras empresas do setor. A partir de então, o uso deste maquinário se dissemina no Porto de Santos, tornando mais ágil o manuseio das cargas.


A empresa atinge a maioridade perfeitamente qualificada para suprir as necessidades do setor, oferecendo um leque diversificado de serviços e atendimento de altíssimo nível. Seu patrimônio inclui caminhões, empilhadeiras, armazéns, terminais e tecnologias que a tornam diferenciada frente às demais firmas do ramo.


Antecipando-se à revolução tecnológica dos anos 90, a empresa inicia seu processo de informatização. A introdução dos computadores interliga os departamentos, reduz os custos e acelera a transmissão de dados.


São 281.000 m² de área, uma invejável posição dentro do setor e muita disposição para crescer. Isso dá mais força para a concretização de um sonho: a construção do Cortês Centro Empresarial, um empreendimento moderno, arrojado e único dirigido a empresários ligados ao segmento de navegação, transporte, turismo e comércio exterior.


A Cortês estabelece sua parceria com a VCP (Votorantim Celulose e Papel), passando a operar os terminais 14/15 pelos dois anos seguintes. Com um calado de 115 metros, a área abriga três armazéns interligados que somam 12.520 m², totalizando uma capacidade de 35.000 toneladas.


A empresa tem seu Sistema de Qualidade certificado segundo a NBR ISO 9001:2000 pela Det Norske Veritas, sendo acreditada pelo INMETRO e pela RVA da Holanda com o seguinte escopo de atividades: “Transporte Rodoviário e Armazenamento de Produtos Florestais, Produtos de Metalurgia Básica ou de Metal, Minerais Metálicos e Não-Metálicos, Não Radioativos e Produtos Manufaturados ou Semi-Manufaturados Unitizados em Containers”.


Com o falecimento do seu patrono, José Villarino Cortês, o Grupo passa a ser dirigido pelos seus três filhos e sua esposa, D. Ilda Garcia Villarino, que mantêm a trajetória de sucesso da empresa com a mesma competência que marcou a gestão do seu fundador.


Prestes a completar meio século de história, a Cortês segue em frente com os olhos no futuro, cada vez mais confiante na sua capacidade de se adaptar a um mercado competitivo. Ambiciosa nas metas e dinâmica nas operações, a empresa planeja chegar a 2016 posicionada como líder absoluta do segmento de soluções logísticas integradas, realizando o sonho idealizado pelo seu fundador.